domingo, 11 de junho de 2017

Dia dos Namorados



Alguém falou de escolhas.
A impressão que eu tinha antes era de uma infinidades de possibilidades, como se fosse um sorteio aleatório, uma reação em cadeia de vários fatos e escolhas, tanto para mim como para minha futura namorada. (Talvez seja um pouco disso).

Então num mundo com mais de 7 bilhões de pessoas, numa cidade onde você cruza todos os dias com mais de 500 pessoas diferentes que você teve a chance de ter algum tipo de relação mínima.
Sabe eu pensei que bastava ela estar num dia propício e nesse dia se encontrar comigo e começar a fagulha que mantém os casais juntos eternamente. Ela poderia estar do meu lado.

Hoje em dia algumas pessoas deixam as possibilidades abertas, aproveitando todas as oportunidades que tem de ficar com alguém em algum nível. Não percebem que estão aperfeiçoando a superficialidade de suas relações. Assim tornando tudo mais prático e sem profundidade, mas isso sou eu falando do lado de fora, observando como os outros jovens se relacionam entre si.

Todas as teorias perdem sentido quando no meio de uma multidão um olhar específico encontra seu campo de visão, todas as lógicas deixam de ser quando acontece aquele momento perfeito, insano e inexplicável.
Então concluo que não era um sorteio, não era qualquer uma, sinto que sempre foi ou sempre seria ela, não importa todas as outras possibilidades, não importa a minha ou as escolhas dela. (Em todas as realidades paralelas que acontecem quando pensamos escolher de maneira diferente se convergem para nosso encontro).

Não sei você, mas no meu caso foi assim, se não a encontrasse naquele dia seria em outro, em outra época, antes ou depois do dia D. Talvez seríamos pessoas diferentes​, mas tenho certeza que ambos reconheceriam que esse era o final da história, o fim de nossas vidas solitárias, e começaria uma nova vida compartilhada entre dois, que formam uma unidade perfeita.

Aí você me diz: “A mas não é sempre às mil maravilhas?”.
Então eu te respondo: É dia dos namorados! O nosso amor é lindo!
Lamento ser uma pessoa que comete erros, mas quando eu a vi pela primeira vez eu disse Sim; sim no meu coração, sim para ela e toda sua história e talvez algumas de  imperfeições. Eu a amo de qualquer jeito.

Te amo Michele, Amo dividir a minha vida com você.

3 comentários:

Danilo danilo disse...

Belo texto!!!

Paulo Henrique Nunes Rocha disse...

Valeu.. Danilo

Hiram Rocha disse...

Eu já Havia feito um comentário, só não sei onde ele foi parar.
valeu Paulo, tem a quem puxar!!!